• 12 de junho de 2019, 09:36
  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir Contéudo

Governo quer ‘embolsar’ dinheiro do PIS/PASEP que não for sacado pelo trabalhador

O governo estuda ficar com os recursos do PIS/Pasep que não forem sacados pelos trabalhadores. O objetivo é lançar em breve uma campanha incentivando o saque do dinheiro pelas pessoas que têm direito, e repassar ao caixa do Tesouro o que não for retirado dentro do prazo. O dinheiro ajudaria a cobrir parte do rombo fiscal, que neste ano pode chegar a R$ 139 bilhões.

A ideia em estudo foi confirmada pelo secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Júnior, em entrevista ao jornal "Valor Econômico". Segundo cálculos do Ministério da Economia, há R$ 22 bilhões do fundo do PIS/Pasep disponíveis para serem sacados. Esses recursos pertencem a 14,5 milhões de pessoas, cerca de 30% delas com mais de 70 anos.

A expectativa, porém, é que apenas uma parte muito pequena dos recursos venham de fato a serem sacados, já que muito dinheiro pertence a idosos e até mesmo a pessoas que já morreram. “Estimamos que um valor bem menor seja efetivamente sacado pelos detentores, que hoje são 14,5 milhões de pessoas, talvez R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões sejam sacados”, disse Waldery ao "Valor".

Caso a estimativa do secretário esteja correta, sobrariam R$ 20 bilhões ainda no fundo, dinheiro que seria incorporado ao caixa do Tesouro. O objetivo seria cobrir parte do rombo fiscal e evitar novos contingenciamentos. Em março, o governo bloqueou R$ 29,8 bilhões da verba destinada a ministérios e emendas. No segundo bimestre, usou um colchão de emergencial, criado do próprio Orçamento deste ano, para evitar um novo bloqueio de verba.

Governo ficar com o dinheiro é novidade
A ideia de o governo ficar com o dinheiro que sobrar do PIS/Pasep é novidade. O secretário Waldery já havia anunciado publicamente que o governo iria liberar o saque dos recursos do fundo para estimular a economia. Mas ele não havia dito que o Tesouro ficaria com os recursos que não forem sacados.

A liberação do saque do Pis/Pasep é tratada como prioridade dentro do ministério da Economia e deve ser anunciada em breve. Haverá uma ampla campanha de divulgação para incentivar as pessoas a pegarem o seu dinheiro por direito.

A possibilidade de o governo ficar com o dinheiro que não for sacado terá de, necessariamente, ser aprovada pelo Congresso. Segundo a "Folha de S.Paulo", o governo deve editar uma medida provisória (MP) prevendo a possibilidade de os recursos irem para o Tesouro. Como se trata de uma MP, ela entra em vigor imediatamente mas depois precisa ser validada no Congresso para virar lei.

O governo Temer promoveu duas rodadas de liberação do saque do PIS/Pasep, mas não ficou com os recursos que não foram sacados.

O que é o PIS/Pasep
O PIS/Pasep era uma contribuição que as empresas recolhiam e, depois, essa contribuição ia para um fundo destinado aos trabalhadores da iniciativas pública e privada. Funcionava como uma espécie de abono salarial. Os bancos públicos eram os responsáveis pela administração. A contribuição foi extinta em 1988.

Mas, desde então, nem todo o dinheiro do fundo foi sacado. Hoje, tem direito a sacar os recursos do fundo PIS/Pasep quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e outubro de 1988, tanto na iniciativa privada quanto no setor público, e que tenha mais de 60 anos.

Mas muitas pessoas nem sabem que têm esse direito, são muito velhas ou já morreram. Essas são as teses usadas para explicar o fato de o dinheiro não ser sacado, apesar das campanhas.

A ideia do governo, na nova rodada de liberação do saque do fundo do PIS/Pasep, é permitir que pessoas com qualquer idade possam sacar o dinheiro que têm direito." (Fonte: Gazeta do Povo)


Bookmark and Share
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região ::

©2012 Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região

Todos os direitos reservados

Avenida Maurício Cardoso, 335, Sala 202
CEP 99700-426 - Erechim - RS
Fonex/Fax: (54) 3321 2788
seeb@bancarioserechim.org.br

Municípios da Base: Erechim, Aratiba, Áurea, Barão do Cotegipe, Barra do Rio Azul, Barracão, Benjamim Constant do Sul, Cacique Doble, Campinas do Sul, Carlos Gomes, Centenário, Cruzaltense, Entre Rios do Sul, Erebango, Erval Grande, Estação, Floriano Peixoto, Gaurama, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul, Itatiba do Sul, Jacutinga, Machadinho, Maximiliano de Almeida, Marcelino Ramos, Mariano Moro, Paim Filho, Paulo Bento, Ponte Preta, Quatro Irmãos, São José do Ouro, São João da Urtiga, São Valentim, Severiano de Almeida, Três Arroios, Viadutos, todos no Estado do Rio Grande do Sul.

 Superativa | Orby