• 11 de junho de 2019, 09:42
  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir Contéudo

Auxílio doença: valor é de um salário mínimo para MEI em 2019


O auxílio doença é um direito do trabalhador que contribui com o INSS

Não é apenas o trabalhador CLT que possui direto aos benefícios previdenciários. O chamado MEI, Microempreendedor Individual, também contribui para o INSS e, por isso, pode ter acesso a diversos benefícios, entre eles, o auxílio doença MEI. A figura do microempreendedor foi criada por meio da Lei Complementar nº128/08 que alterou a Lei da Micro e Pequena Empresa de 2006.

O MEI está enquadrado como contribuinte individual da Previdência Social. Esta contribuição se dá através da Guia DAS-MEI (Documentos de Arrecadação do Simples Nacional – Microempreendedor), gerado a partir do momento que o cidadão se cadastra no site oficial do microempreendedor e se formaliza.

Com o pagamento em dia dessa Guia, o MEI passa automaticamente a receber o auxílio doença caso esteja incapacitado, por doença ou acidente, de retomar às suas atividades laborais normais.

Mesmo já recebendo o auxílio doença, o MEI deve pagar o DAS, caso o tempo do recebimento do benefício não transcorra dentro do prazo de um mês, isto é, de 1º a 31. O valor do DAS é calculado com base no salário mínimo vigente.

Como ter direito ao auxílio doença sendo MEI
A partir do momento que o cidadão registra o MEI, ele passa a ter obrigação de contribuir com a Previdência Social. O valor dessa contribuição corresponde a 5% em cima do valor do salário mínimo. Além disso, o valor de R$ 1,00 deverá ser destinado ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviço) para o Estado, bem como R$ 5,00 para o imposto municipal.

Período de carência
Além de manter as contribuições mensais em dia, para a concessão do auxílio doença MEI também é necessário que seja cumprido o período de carência que, para o microempreendedor é de 12 contribuições mensais, contados a partir do primeiro pagamento.

Porém, para acidentes de qualquer natureza e também para alguns tipos de doenças, não é necessário que o MEI tenha cumprido o período de carência. Apenas a primeira contribuição já permite que o auxílio doença MEI seja concedido. A lista dessas doenças foi estabelecida pelo próprio Ministério da Saúde, e são as seguintes:

Cardiopatia grave;
Mal de Parkinson;
Cegueira;
Tuberculose;
AIDS;
Paralisia (irreversível ou incapacitante);
Alienação mental;
Hanseníase;
Contaminação por radiação;
Neoplasia maligna;
Espondiloartrose;
Nefropatia grave.


Vale destacar ainda que caso o MEI tenha vínculo empregatício CLT, ele poderá solicitar auxílio-doença para ambas as atividades que exerce, visto que ele contribui para a Previdência Social nas duas atividades trabalhistas.

Além disso, caso o cidadão, antes de formalizar o MEI, já contribuiu com a Previdência pelo regime CLT, ele não perderá esse tempo de contribuição. Como o MEI está diretamente vinculado ao PIS, isso faz com que o tempo de contribuição seja somado. Essa soma pode fazer com que o contribuinte consiga a aposentadoria por tempo de contribuição, por exemplo. (Fonte: Jornal Contábil)


Bookmark and Share
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região ::

©2012 Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região

Todos os direitos reservados

Avenida Maurício Cardoso, 335, Sala 202
CEP 99700-426 - Erechim - RS
Fonex/Fax: (54) 3321 2788
seeb@bancarioserechim.org.br

Municípios da Base: Erechim, Aratiba, Áurea, Barão do Cotegipe, Barra do Rio Azul, Barracão, Benjamim Constant do Sul, Cacique Doble, Campinas do Sul, Carlos Gomes, Centenário, Cruzaltense, Entre Rios do Sul, Erebango, Erval Grande, Estação, Floriano Peixoto, Gaurama, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul, Itatiba do Sul, Jacutinga, Machadinho, Maximiliano de Almeida, Marcelino Ramos, Mariano Moro, Paim Filho, Paulo Bento, Ponte Preta, Quatro Irmãos, São José do Ouro, São João da Urtiga, São Valentim, Severiano de Almeida, Três Arroios, Viadutos, todos no Estado do Rio Grande do Sul.

 Superativa | Orby