• 06 de abril de 2020, 14:42
  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir Contéudo

A orientação é evitar ir às agências bancárias até que auxilio emergencial comece

 

Fenae reforça o que o Comando dos Bancários orienta: é necessário proteger a saúde dos trabalhadores e da população

A orientação atual é que a população que será atendida com o auxílio emergencial de R$ 600 em razão da crise ocasionada pela pandemia do coronavírus, neste momento, ainda não deve se dirigir até as agências bancárias com esta finalidade. Enquanto não for decretado o conjunto de orientações em relação a operacionalização dos pagamentos, a orientação  é que não sejam formadas aglomerações em filas para evitar a proliferação do vírus.  
O projeto sobre o auxílio emergencial, já aprovado no Congresso Nacional, precisa ainda da sanção presidencial para passar a valer. Após ser sancionado, a liberação do dinheiro dependerá de um decreto presidencial sobre a forma como ele será realizado. O pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 será feito a trabalhadores informais (sem carteira assinada), microempreendedores individuais (MEI) e pessoas de baixa renda em geral. Para as mães que são chefe de família (família monoparental), o projeto autoriza o recebimento de duas cotas do auxílio, totalizando R$ 1,2 mil.  
 
Neste momento, portanto, a Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal) reforça o que o Comando Nacional dos Bancários vem orientando: é necessário proteger a saúde dos trabalhadores nas agências bancárias – sejam eles bancários, terceirizados, seguranças, além de toda a população. Um dos apelos à direção da Caixa, é que se adote o agendamento antes de as pessoas se dirigirem aos bancos para aqueles serviços essenciais (presenciais).  
 
Por ser a Caixa Econômica um dos bancos públicos que efetua atendimento aos benefícios sociais, é importante manter o contingenciamento de clientes da entrada das agências e a determinação de só atender presencialmente os serviços considerados essenciais.  
 
Segundo o Ministério da Cidadania informou na grande imprensa, o pagamento do auxílio emergencial será operacionalizado pela Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, agências lotéricas e Correios. A liberação do dinheiro nessas redes ainda não começou e tudo indica que serão dadas preferências para pagamentos em contas digitais, para evitar deslocamentos e aglomerações.  

A estimativa da direção da Caixa é que sejam destinados mais de R$ 40 bilhões para a concessão do auxílio emergencial durante três meses (prazo que poderá ser prorrogado pelo governo). Para quem não é correntista da Caixa, deverá ser adotado um calendário para a concessão do benefício.

O pagamento do auxílio emergencial é um meio para as famílias enfrentarem as dificuldades em função do coronavírus, que abate a estrutura financeira das famílias e Economia do país.

Conforme o projeto aprovado, são requisitos para ter acesso ao auxílio:

•ser maior de 18 anos de idade;  

 •não ter emprego formal;  

•não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;  

•ter renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00); e  

•não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70.
 (Fonte: Fenae)


Bookmark and Share

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ORIENTAÇÃO PARA VOTAÇÃO

ORIENTAÇÃO PARA VOTAÇÃO

20 de julho de 2020, 16:13
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região ::

©2012 Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Erechim e Região

Todos os direitos reservados

Avenida Maurício Cardoso, 335, Sala 202
CEP 99700-426 - Erechim - RS
Fonex/Fax: (54) 3321 2788
seeb@bancarioserechim.org.br

Municípios da Base: Erechim, Aratiba, Áurea, Barão do Cotegipe, Barra do Rio Azul, Barracão, Benjamim Constant do Sul, Cacique Doble, Campinas do Sul, Carlos Gomes, Centenário, Cruzaltense, Entre Rios do Sul, Erebango, Erval Grande, Estação, Floriano Peixoto, Gaurama, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul, Itatiba do Sul, Jacutinga, Machadinho, Maximiliano de Almeida, Marcelino Ramos, Mariano Moro, Paim Filho, Paulo Bento, Ponte Preta, Quatro Irmãos, São José do Ouro, São João da Urtiga, São Valentim, Severiano de Almeida, Três Arroios, Viadutos, todos no Estado do Rio Grande do Sul.

 Superativa | Orby